Padroeiro é aquele que protege. Não à toa, sempre existe um dia especial para eles e, no caso da Cidade Maravilhosa, são tantas as bênçãos que temos até dois padroeiros. Oficialmente, São Sebastião assume esse posto, mas desde 2008, outro Santo bastante venerado por aqui recebeu esse cargo e ganhou até um feriado estadual em sua homenagem. São Jorge é pra lá de carioca e merece essa atenção especial. Jorge Ben Jor já registrou toda sua devoção e trouxe milhares de pessoas a cantarem junto dele em bom e alto tom “Salve Jorge”!

Rio de Janeiro, cidade maravilhosa. Foto: Olivia Nachle

São Jorge é santo celebrado não só no Rio. Sua força é tamanha e está espalhada pelo mundo todo, ele ganha destaque nos dias 23 de abril, dia em que há registros de sua morte, como no dia 3 de novembro, que é quando se comemora a reconstrução da igreja dedicada a ele em Lida, Israel, erguida a mando do imperador romano Constantino I – lá, inclusive, é onde acredita-se estar os restos mortais dele.  Tamanha popularidade no mundo todo (ele é celebrado em vários outros países como Inglaterra e Portugal) vem muito por conta da admiração ao santo cavaleiro extremamente habilidoso e dedicado ao exército romano, pela sua fé (São Jorge foi morto por se negar a dizer que não era católico), e pela crença de que ele está sempre pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda com seu cavalo e sua espada junto de si. Mais do que isso, ele é um Santo querido tanto pelo catolicismo como pelas religiões afro-brasileiras, atingindo assim um público bastante grande!

Rio de Janeiro, cidade maravilhosa. Foto: Olivia Nachle

Aqui pelo Rio, a devoção à São Jorge vem muito do fato de sua grande importância ao catolicismo, mas também pela veneração que recebe em diversos cultos de religiões afro-brasileiras, onde é sincretizado na forma de Ogum. “Nosso povo é muito lutador, não se entrega, por isso se identifica tanto com ele, esse Santo Guerreiro que sempre traz consigo um dragão, figura essa que representa tudo aquilo que nos oprime”, reflete o padre Wallace Dahan, de Niterói.

Rio de Janeiro, cidade maravilhosa. Foto: Olivia Nachle

E não existe descrição melhor para esse santo padroeiro querido como a que fizeram Jorge Ben Jor e Zeca Pagodinho na conhecida música “Ogum”: “Um guerreiro valente que cuida da gente que sofre demais; ele vem de Aruanda, ele vence demanda de gente que faz; Cavaleiro do céu, escudeiro fiel, mensageiro da paz; Ele nunca balança, ele pega na lança, ele mata o dragão; É quem dá confiança para uma criança virar um leão; É um mar de esperança que traz a bonança pro meu coração”. As comemorações vão rolar por toda a cidade em missas, sambas, apresentações e muita fé! Salve Jorge!

Fotos: Olivia Nachle.

O seu endereço de e-mail não será publicado.