“40 anos com corpinho de 20”. Foi assim que Rodrigo Pederneiras, coreógrafo do Grupo Corpo descreveu a atual fase do grupo, que é uma das mais festejadas companhias de dança do Brasil. Talvez pelas características marcantes ou pela forte delicadeza de cada apresentação, fato é que a grande maioria dos profissionais que compõem o grupo são veteranos e até mesmo aqueles que eram dançarinos no início da companhia, hoje trabalham nos bastidores, cuidando dos mínimos detalhes para que as apresentações arranquem arrepios da plateia. E isso eles bem sabem como fazer. E, anotaí: dos dias 3 até 7 de setembro, o grupo vai se apresentar no Theatro Municipal do Rio, em uma celebração no melhor estilo: com muita dança e música que valorizam a história e, ao mesmo tempo, inovam.

Grupo Corpo e seus 40 anos

A apresentação é dividida em dois blocos, sonorizados por músicas criadas exclusivamente para o espetáculo. Primeiro, Suíte Branca, composta por Samuel Rosa, do Skank, numa criação pensada na expressão por gestos e linhas do corpo. No segundo bloco, a trilha é feita por Marco Antônio Guimarães que colabora com o grupo há décadas e será executada pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Rodrigo Pederneiras, que é uma das almas do Corpo, comandou a coreografia: “Tinha anotações e ideias antigas e engavetadas e fui atrás delas para depois misturar com conceitos mais recentes”, como ele conta. Junto dele, a equipe convocou Cassi Abranches, que foi bailarina do Corpo por 12 anos, para assinar uma das coreografias. Os figurinos ficaram por conta de Freusa Zechmeister e a iluminação é de Paulo Pederneiras.

Grupo Corpo e seus 40 anos

O espetáculo já passou por Belo Horizonte, onde fica a casa do grupo, e por São Paulo e as críticas têm sido super positivas. A primeira parte do espetáculo, Suíte Branca, tem como cenário apenas um fundo branco, que representa a celebração do início de uma nova etapa. Depois, em Dança Sinfônica, 1080 fotos amadoras tiradas em viagens e encontros do grupo servem de pano de fundo para celebrar esses 40 anos. Esse é o tipo de apresentação que os amantes de bons espetáculos não podem perder! E ah! Vale dizer que o Grupo Corpo tem, hoje, uma escola de dança, lá em BH, e também um projeto social que envolve cerca de 600 jovens. Pra dar ainda mais gosto em assistir a essas verdadeiras apresentações de muita arte.

O seu endereço de e-mail não será publicado.