“O circo é um espetáculo que desafia a lei da gravidade. No circo as pessoas voam, se equilibram em um fio. No circo as pessoas jogam vários objetos para o ar. Mas o palhaço é aquele que cai. O palhaço é aquele que erra. O palhaço é aquele que perde.” Aos 20 e poucos anos de idade, depois de uma adolescência desastrosa, de ser expulso do colégio e optar pelo teatro de rua para ganhar a vida, foi esta frase que mudou o rumo da história de Márcio Libar. Negro, de família pobre e com poucas perspectivas de futuro, Libar se agarrou a esta afirmação e encontrou nela um novo entendimento da arte, da vida e especialmente uma nova forma de enxergar a si próprio. Ficou tão obcecado pelo assunto que foi atrás, conheceu grandes mestres da palhaçaria, estudou, se especializou nesta arte e depois de alguns anos criou Cuti Cuti, personagem que conquistou vários prêmios internacionais e trouxe grande alívio para a vida de Libar, que aprendeu a rir de sua própria imperfeição. Com a nobre arte da palhaçaria, ele encontrou não só uma profissão, mas um profundo autoconhecimento, uma verdadeira filosofia de vida.
Marcio Libar
Depois de alguns anos arrancando risos de plateias por todo o mundo – “risos de aceitação e cumplicidade”, Libar faz questão de enfatizar –  Cuti Cuti deu lugar a um personagem um pouco mais enigmático: Messiê Loyal.  Um antigo dono de circo, de humores variáveis e capaz de arrancar lágrimas daqueles que cruzam o seu caminho. Em seu jogo oficina, criado há quatro anos, o monsieur de fraque e cartola é quem decide quais dos participantes serão aceitos no Gran Cirque du Messiê Loyal. A oficina, pela qual já passaram mais de 800 aprendizes de palhaço, acontece na Fundição Progresso durante todo um final de semana. São no total 24 horas de imersão em um universo completamente novo. O universo da verdade. E nada mais.  As máscaras sociais vão caindo uma a uma até não restar mais nada que não você, o seu verdadeiro eu. Os métodos para atingir este estágio de superação do ego não são revelados pela organização do curso, e os participantes também são instruídos a manter sigilo quanto aos processos, mas uma coisa é certa: o intensivo de autoconhecimento é um divisor de águas na vida de qualquer participante.
Marcio LIbar
Inicialmente voltado para atores, o workshop atualmente aceita pessoas de todas as profissões, idades e aspirações. O palhaço vira pano de fundo para uma experiência transformadora que tem na autoexpressão sua base, mas que transita por questões como superação do medo e aceitação da sua verdade interior. Durante os dois dias de curso, Libar busca recuperar um mundo encantado incentivando o reencontro com a criança que existe dentro de cada um. Um resgate da tal da felicidade que, em suas próprias palavras, está na capacidade de amadurecer sem deixar de ser criança, criadora dos seus próprios universos. Entre a legião de seguidores conquistados por por ele após esta experiência transformadora estão os atores Stenio Garcia, Reynaldo Gianecchini, Leandra Leal, Luana Piovanni entre outros. Eles, assim como todos os ex alunos, fazem parte orgulhosamente da Liga Extraordinária dos Idiotas, uma irreverente sociedade secreta que conta com grupos no facebook e whatsapp para manter acesa a chama da comunicação na base do amor e da verdade. Para se inscrever no curso/workshop/reality – ou qualquer outro nome que busque explicar o inexplicável – o candidato deve entrar no site, preencher um formulário e assinar embaixo do seu atestado de idiota. É o primeiro (de muitos) passos que deverão ser dados em direção ao reconhecimento e aceitação da própria inadequação no mundo. Afinal, neste picadeiro chamado vida somos todos palhaços.

O seu endereço de e-mail não será publicado.