Uma visita a um restaurante premiado ou em alguma lista não é necessariamente sinônimo de satisfação garantida. Muito se tem falado recentemente sobre isso. A experiência em um restaurante envolve vários fatores e o nosso julgamento sobre eles não deve se basear em uma única visita.

Ainda assim, os prêmios não deixam de ser um reconhecimento a um trabalho árduo de elaboração de menu, seleção de fornecedores e treinamento de equipe justamente para fazer de cada experiência a melhor possível.

Nos últimos dias, foram revelados os melhores restaurantes do Rio segundo o Prêmio RioShow de Gastronomia e o Prêmio da Revista Gula.

Abaixo, as categorias e seus vencedores.

PRÊMIO RIOSHOW GASTRONOMIA

–        Melhor restaurante: Roberta Sudbrack

–        Melhor chef: Roberta Sudbrack

–        Novidade: Lasai (do chef Rafael Costa e Silva)

–        Francês: Olympe (chef Thomas Troisgros)

–        Italiano: Alloro (chef Luciano Boseggia)

–        Português: Antiquarius

–        Oriental: Sawasdee Bistrô

–        Peixe: Satyricon

–        Carne: Esplanada Grill

–        Comida leve: Celeiro

–        Contemporâneo: ORO (chef Felipe Bronze)

–        Carta de vinhos: Giuseppe Grill

–        Carta de drinques: Paris Bar

–        Bom e barato: Artigiano

–        Serviço: Gero

–        Café da manhã: Da Casa da Táta

–        Pão: Talho Capixaba

–        Doce: Irajá Gastrô

–        Ar livre: Bar Lagoa

–        Pizza: Bráz

–        Para beliscar: Venga

–        Sanduíche: Cervantes

–        Sorvete: Mil frutas

–        Pé-limpo: empate entre Boteco DOC e Pipo

–        Pé-sujo: Adega Pérola

–        Brasileiro: Siri Mole

–        Carta de cerveja: Delirium Café

–        Carta de cachaça: Galeto Sat’s

–        Tradicional: Bar Luiz

–        Garçom: Uédon do Antiquarius

–        Prêmio Especial: Ibérico

 

Laurent Suaudeau, homenageado da noite, e Claude Troisgros, vencedor do Prêmio Especial / Hors Concours, entregam o prêmio de Chef do Ano para Thomas Troisgros (Olympe).

Laurent Suaudeau, homenageado da noite, e Claude Troisgros, vencedor do Prêmio Especial / Hors Concours, entregam o prêmio de Chef do Ano para Thomas Troisgros (Olympe).

 Pedro de Artagão (Irajá Gastrô) ganhou o prêmio de Melhor Contemporâneo, empatado com o Maní, de Helena Rizzo (SP).


Pedro de Artagão (Irajá Gastrô) ganhou o prêmio de Melhor Contemporâneo, empatado com o Maní, de Helena Rizzo (SP).

PRÊMIO GULA

–        Chef do ano: Thomas Troisgros (Olympe)

–        Chef revelação: Rafa Costa e Silva (Lasai)

–        Italiano: Trattoria Fasano (São Paulo)

–        Sommelier: Manoel Beato (Fasano, São Paulo)

–        Hamburgueria: Z-Deli (São Paulo)

–        Francês: Olympe

–        Pizzaria: Bráz

–        Barman: Alex Mesquita do Paris Bar

–        Variado: Attimo (São Paulo)

–        Doceria: Boulangerie Guerin

–        Bar: Aconchego Carioca

–        Peixes e frutos do mar: Amadeus (São Paulo)

–        Carnes: Pobre Juan

–        Português: Antiquarius

–        Brasileiro: Mocotó (São Paulo)

 

Rafa Costa e Silva, (Lasai), vencedor do prêmio Chef Revelação.

Rafa Costa e Silva, (Lasai), vencedor do prêmio Chef Revelação.

Fotos: Vera Donato.

Postado por Gustavo Bonelli.

O seu endereço de e-mail não será publicado.