Já conhecia a fama do chefe há algum tempo. Com passagens pelas cozinhas de José Hugo Celidônio, Flávia Quaresma e Roland Villard, Pedro de Artagão, abriu o seu Iraja Gastrô em dezembro de 2011, após ter saído do Laguiole. Rapidamente, ganhou sua merecida notoriedade e em 2012 recebeu o prêmio Novidade do ano do Rio Gastronomia.

Mas foi somente há pouco mais de um mês que pude finalmente conferir o que muitos já tinham me falado. Convidado por uma amiga, numa noite de terça feira tive a oportunidade de conhecer o tão falado Omakase. O termo é utilizado em menus degustação de comida japonesa e pode ser traduzido por algo como “deixo com você”, ou seja, o chef é quem decide o que você vai comer. Dessa forma, Pedro foge dos pratos descritos no cardápio fixo e nos leva a uma viagem gastronômica levando em conta os melhores ingredientes da época, sua criatividade, seu estado de espírito.

O menu é o resultado de 6 meses de pesquisa e segue o conceito geral do Irajá, de cozinha de produto, mas mais profundamente o conceito de valorizar o ingrediente. Cada etapa é completamente diferente da outra. É servido apenas a uma mesa por noite, em noites tranquilas para clientes que topem o desafio.

Três pratos crus formaram o primeiro bloco. Começamos com o “vieiras, uvas e caldinho de fundo do mar”, delicado, fresco e ao mesmo tempo cheio de sabor. Em seguida, um sashimi de beijupirá acompanhado de caqui, milho na brasa e leche de tigre. O terceiro prato, um tartare de wagyu, veio escondido atrás de folhas de Nasturtium (capuchinha) e banhado em um caldo de vôngole.

 

Vieiras, uvas e caldinho de fundo do mar

Vieiras, uvas e caldinho de fundo do mar

Beijupirá, caqui, milho na brasa e leche de tigre

Beijupirá, caqui, milho na brasa e leche de tigre

Tartare de wagyu, Nasturtium e caldo de vôngole

Tartare de wagyu, Nasturtium e caldo de vôngole

 

Numa transição do primeiro para o segundo ato, atum dry aged com lâminas de foie gras. Em seguida, badejo recoberto com crosta de macadâmia, acompanhado de sorbet de abacaxi e finalizado com azeite cru chileno.

tum dry aged e lâminas de foie gras

tum dry aged e lâminas de foie gras

Badejo, macadâmia, sorbet de abacaxi e azeite cru chileno

Badejo, macadâmia, sorbet de abacaxi e azeite cru chileno

 

Curiosidade ao saber que a primeira carne da noite seria acém. Macio e no ponto, foi servido com batata doce e manteiga de tutano e alho assado. Pra finalizar os principais: costelinha, feijão, quiabo e caldo de quiabo, com acidez equilibrada, presente mas sem incomodar. Difícil escolher o melhor da noite.

Acém, batata doce e manteiga de tutano com alho assado

Acém, batata doce e manteiga de tutano com alho assado

Costelinha, feijão, quiabo e caldo de quiabo

Costelinha, feijão, quiabo e caldo de quiabo

 

Se tem alguma coisa que eu valorizo são as sobremesas e mais uma vez Pedro não decepciona: terrine de frutas vermelhas com creme de queijo; cuscus da praia, sorbet de manga e maracujá e capim limão e – para o gran finale – o famoso bolo de chocolate com brigadeiro, servido com creme inglês para todos da mesa dividirem.

Terrine de frutas vermelhas com creme de queijo

Terrine de frutas vermelhas com creme de queijo

Cuscus da praia, sorbet de manga e maracujá e capim limão

Cuscus da praia, sorbet de manga e maracujá e capim limão

Bolo de chocolate com brigadeiro

Bolo de chocolate com brigadeiro

 

IRAJÁ GASTRÔ

Rua Conde de Irajá, 109 – Botafogo

Tel.: (21) 2246-1395

www.irajagastro.com.br

 

Postado por Gustavo Bonelli.

O seu endereço de e-mail não será publicado.