Clarisse Menezes conta tudo sobre o esgrima

07 de dezembro de 2015

Há muito, muito, muito tempo atrás, muito antes do que você imagina, o esgrima já existia. “A história do esgrima se confunde com a evolução da humanidade”, explica Clarisse Menezes, que é quatro vezes campeã brasileira no esporte. É que desde muito, muito tempo, as armas eram usadas, primeiro como objetivo de defesa e ataque de caça, depois em duelos que eram moda na antiguidade até ganharem o caráter esportivo que têm hoje. “É um esporte olímpico presente desde a primeira edição dos Jogos da Era Moderna, em Atenas e é um dos 5 esportes que esteve presente em absolutamente todas as edições dos Jogos desde então”, ela completa.

Clarisse Menezes: a carioca é campeã em esgrima e conta tudo sobre o esporte olímpico

Apesar disso, é um esporte que não ganha muita visibilidade na mídia, apesar de ser de estética linda, super plástica e “ter competições extremamentes emocionantes”, como Clarisse completa. Ela mesma não seguiu a linha certinha de quem entra no esporte logo cedo. “O ideal para se tornar atleta é começar a praticar aos 9 anos mas eu mesma praticava hipismo quando era menor e competia mas fazia mesmo por hobby”, ela lembra. Em 2002, quando ela tinha 23 anos, foi convidada a conhecer um esporte que buscava talentos aqui no Rio, o Pentatlo Moderno, composto por tiro, esgrima, natação, hipismo e corrida. Ela foi e se deu super bem. Competiu na equipe até 2007, quando o esgrima acabou ganhando seu amor e ela passou a treinar “só” esse esporte. “Depois do hipismo, era o esporte que eu mais gostava de treinar, queria fazer aulas todos os dias para me aprimorar”, ela conta. Daí, em 2006, a Confederação Brasileira de Esgrima contratou um técnico russo, o Oleg Fomin, e Clarisse melhorou consideravelmente em pouco tempo. Foi aí que ela entrou na equipe brasileira de esgrima, onde está firme e forte até hoje, treinando e sonhando com as Olimpíadas do ano que vem. “Jogar em casa, com o apoio da torcida vai ser especial”, ela vibra.

IMG_8956

Vai mesmo. E pra você que não conhece muito desse esporte, Clarisse ajuda a entender alguns pontos básicos para a torcida no ano que vem ser completinha. Antes de tudo, é importante destacar: “A esgrima é um esporte de combate em que não há o contato físico”, ela conta. O que há, na verdade, é o contato utilizando uma das 3 armas - espada, florete ou sabre. “Não há como se machucar, as roupas são feitas do mesmo tecido usado em coletes à prova de bala, além de outros equipamentos de proteção como máscara e luva”. Cada uma dessas armas possui sua regra, zona de pontuação e forma de toque mas, em geral, “O objetivo das três modalidades é basicamente o mesmo: tocar seu adversário e evitar ser tocado”, ela explica. Os pontos são marcados toda vez que você consegue tocar o adversário e são sinalizados por uma luz verde ou vermelha. “Em competições, na fase classificatória jogamos combates de 5 toques com 3 minutos de duração; e na fase eliminatória temos 3 tempos de 3 minutos cada, com 1 minuto de intervalo, para chegar aos 15 toques”, ela completa, pontuando que as competições de esgrima podem durar um dia inteiro. “É um jogo que exige muita coordenação motora, resistência muscular, explosão, reflexos rápidos, agilidade, atenção e muita estratégia”, ela resume.

Clarisse Menezes: a carioca é campeã em esgrima e conta tudo sobre o esporte olímpico

Clarisse descreve um esporte com um amor que dá gosto de ver. A carioca foi a primeira brasileira a trazer uma medalha de esgrima em Jogos Panamericanos, conquistando o bronze nos PAN do Rio de 2007 e está cheia de esperanças de que as olimpíadas aqui tragam uma visibilidade maior pro esporte ao aproximá-lo do grande público e também atrair patrocinadores. “Também precisamos de mais praticantes e, para isso, mais pessoas habilitadas a ensinar: é importante trabalhar na base dessa pirâmide, como em qualquer esporte”, ela reflete, “Aumentando o número de praticantes, aumenta também a qualidade e a chance de aparecerem novos campeões”. E, depois dos Jogos do ano que vem, é justamente nisso que ela quer focar: “Pretendo desenvolver algum projeto para massificar a esgrima aqui no Rio”. E trazer um pouco desse esporte milenar, de muitos, muitos, muitos anos atrás, pra realidade de cariocas.

Clarisse Menezes: a carioca é campeã em esgrima e conta tudo sobre o esporte olímpico

Ah! Se você se interessou, aqui no Rio dá pra praticar em vários lugares:

Clube Militar da Lagoa

Club Municipal da Tijuca

Clube Ginástico Português (Centro)

Clube dos Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica (Cascadura)

Sport Club Magnólia (Petrópolis)

Sesc Madureira

Sigam @cariocadna no Instagram

Comentários no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Web development Somar
|
Design Radiográfico