Enquanto alguns lugares do Rio cobram preços surreais – fazendo surgir até um movimento, o Rio surreal, contra esses preços abusivos – um Café, no Centro da cidade, tem feito exatamente o inverso.

No Curto Café, no Terminal Menezes Côrtes, o cliente escolhe quanto vai pagar, a partir de um preço mínimo, que é o preço de custo. Na hora de pagar, os clientes que não conhecem as regras da casa se surpreendem ao ouvir a frase “Não tem preço. Você paga quanto quiser’’.

No início pode parecer estranho, mas depois todo mundo se acostuma, vira frequentador assíduo e costuma pagar mais do que o preço de custo somente.

No local simples, com algumas mesas, poltronas e pufes, há quadros-negros com anotações dos gastos, como aluguel do espaço, material de limpeza, equipamentos e até internet (o wi-fi é liberado), para calcular o valor de custo de cada item vendido. Os clientes podem também ajudar o negócio, acompanhando a meta a ser batida e contribuindo para que a conta do Café não feche no vermelho.

Curto Café, centro, RJCurto Café, centro, RJO dinheiro, trocado por fichas após o consumo, repousa livremente em potinhos ao alcance dos clientes, que também pegam o seu próprio troco.

Curto Café, centro, RJA iniciativa é inovadora e tem sido divulgada amplamente por meio das redes sociais. Além de alguns consumidores incrédulos, o Café vem ganhando cada vez mais fãs. Muitos vão a primeira vez exatamente para ver como é esse diferente sistema e acabam virando clientes assíduos.

Vale a pena visitar para conhecer e apreciar um delicioso café, acompanhado de brownies ou cookies. Mas fique atento: o Café fecha cedo e não tem horário certo, funciona de acordo com o movimento.

 

Postado por Cláudia D’Elia                        https://www.facebook.com/claudiadeliafotografia

 

 

  • Café @ Claudia D'Elia Fotografia

    02 08 2014

    […] texto no Carioca DNA, sobre um Café diferente, em que o cliente escolhe quanto vai pagar. Clique aqui para […]

O seu endereço de e-mail não será publicado.