Musa do Arpoador na década de 1950, Ira Etz conta suas memórias em livro que será lançado dia 08 de dezembro na Argumento do Leblon

07 de dezembro de 2016

Ela nasceu Iracema, dia 1º de janeiro de 1937. Filha de alemães, cresceu na Rua Joaquim Nabuco, deu os primeiros passos nas areias e aprendeu a nadar no mar de Ipanema. Mais tarde virou Ira Etz, musa da praia, namorada de Arduino Colasanti, amiga de João Gilberto, Tom Jobim, Nara Leão e Millôr Fernandes, o craque do frescobol. Fez história, viu e ouviu muitas outras inesquecíveis nos efervescentes verões dos anos 1950. Às vésperas de completar 80 anos, a autora reúne suas memórias no livro Ira do Arpoador (editora ID Cultural), que será lançado dia 08 de dezembro, na Livraria Argumento do Leblon.

Foto da autora Ira Etz

Foto da autora Ira Etz

Durante um ano, com a ajuda do jornalista Luiz Felipe Carneiro, Ira revirou suas memórias. Munida do diário que começou a escrever aos 15 anos, de cartas guardadas desde a adolescência e de muitas fotografias, o texto veio fácil e leve como foram todos aqueles anos de juventude no Arpoador. “A vida passou rápido e esse livro é como se eu arrancasse uma tampa enferrujada de um balde cheio de histórias. Espero que ele me dê a oportunidade de juntar todos os meus pedaços, todas essas várias ‘Iras’”, diz.

As imagens antigas e trechos das cartas estão na edição, que tem contracapa do também amigo Ruy Castro, seu maior incentivador. “Só Ira Etz poderia ter vivido a vida de Ira Etz. E como sabemos agora, só ela poderia contar sua história. O resultado é este livro, que nos remete aos grandes verões cariocas que Ira estrelou e às areias onde deixou sua marca para sempre”, escreveu Ruy.

O livro de Ira começa antes de seu nascimento, ainda na Europa, onde conta um pouco de sua história. Depois vem a infância, a adolescência. O primeiro beijo foi em Arduino Colasanti, com quem por anos, como a própria autora lembra, “formou um time”. As amizades também foram muitas, Marina Colasanti, cunhada na época, é próxima até hoje. João Gilberto ela conheceu na própria casa, durante uma festa, trazido por Ronaldo Bôscoli. Mais tarde, em 1959, dividiu a capa da Revista Manchete com o compositor. Com Tom Jobim esbarrava pelos bares e sempre ficou fascinada com a preocupação dele com o meio ambiente, numa época em que ninguém falava do assunto.

João Gilberto e Ira Etz na capa da Revista Manchete

João Gilberto e Ira Etz na capa da Revista Manchete

Morou em Nova York, foi modelo, filmou a primeira versão de “Pluft, o Fantasminha” para o cinema. Na volta dos Estados Unidos, para ganhar um dinheirinho extra, deu aulas de inglês. O primeiro aluno foi Rubem Braga, que não estava muito interessado no novo idioma. Mais tarde veio o início conturbado do casamento com Pedro Paulo Couto, seu marido e parceiro até hoje. Com ele e os dois filhos, Luciana e Pedro, viveu muitas aventuras no barco Pery.

Desde lá muita coisa mudou, Ira formou-se em Psicologia, mas não seguiu carreira. Tornou-se artista plástica, mudou-se para o Jardim Botânico, perdeu o filho, virou avó, começou a escrever e lançou seu primeiro livro de poemas, Sou Eu. A conexão com Ipanema, que rendeu tantos capítulos de sua vida, no entanto, nunca foi perdida. “Todas as segundas-feiras vou ao Arpoador bem cedinho. Agradeço pela vida e peço proteção”, conta Ira.

Lançamento

Data: 08 de dezembro (quinta-feira), às 19h

Local: Livraria Argumento – Rua Dias Ferreira, 417, Leblon. Tel: 2239-5294

Sigam @cariocadna no Instagram

Comentários no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Web development Somar
|
Design Radiográfico