Um vídeo em 3D que reconstitui o Rio de Janeiro no ano de sua fundação, em 1565, é a grande atração do módulo “Rio de Janeiro 450, a fundação da cidade e seus marcos históricos” em exposição Museu Histórico Nacional. O vídeo estará em exibição no museu até o dia 6 de janeiro. A produção é da Andrea Jakobsson Estúdio Editorial e a curadoria de Paulo Bastos.

“Nossa motivação foi utilizar as novas técnicas de modelagem geográfica para reconstituir o cenário do Rio de Janeiro em 1565. Indicamos também como deviam ser os antigos assentamentos humanos na região, tanto dos índios tamoios, quanto dos primeiros europeus que chegaram por aqui: franceses e portugueses. O lugar onde a cidade foi fundada era coberto de florestas, cortadas por rios que desciam das montanhas. Havia morros que depois foram arrasados por reformas urbanísticas, e muitos trechos do litoral ainda não haviam sido aterrados. O modelo 3D recria esse ambiente, e permite que o visitante “navegue” sobre o cenário”, explica o curador.

 

Além do video, a exposição disponibiliza um aplicativo interativo que permite visualizar os principais trechos do núcleo inicial do Rio de Janeiro em sua aparência de 1565 e de 2015. O contraste entre as matas originais e a grande metrópole que se instalou sobre aquela paisagem vem causando surpresa aos visitantes. Além disso, são mostrados os documentos que chegaram até os dias de hoje e que permitiram reconstituir a paisagem.

 Rio de Janeiro em 1565, Museu Histórico Nacional.

Para Paulo Bastos, o vídeo pode ser de suma importância para as pesquisas sobre a História do Rio, porque ele serve de base para quem desejar retratar a expansão da cidade nos séculos que seguiram e ainda ressalta a questão ambiental: “Ele também dá mais argumentos para proteger o que resta da cobertura vegetal em nosso espaço urbano”.

 

A modelagem 3D foi construída pelo jovem designer Pedro van Erven, filho do artista gráfico Carlos Gustavo Pereira, o Guta, já falecido. Guta trabalhou com Paulo Bastos há quase 30 anos, numa série de imagens sobre a evolução urbana do Rio, sobre a Praça XV e os Arcos da Carioca. “Esse trabalho teve muita repercussão na época, e suas cópias ainda estão expostas em alguns restaurantes e centros culturais da cidade. Trinta anos depois, o filho do Guta retomou o tema utilizando uma tecnologia de ponta. A herança de talentos foi deixada, com diferentes técnicas: o Guta usava aerógrafos, e o Pedro, computadores”, relata Bastos.

 Rio de Janeiro em 1565, Museu Histórico Nacional.

Em novembro, durante a exposição, será lançado o livro “Rio de Janeiro: 450 anos – A fundação da cidade e seus marcos históricos – Largo da Misericórdia 1565-2015”, de Jacques Sillos, que se debruça sobre a região onde foi de fato fundado o Rio de Janeiro. Embora muitos chorem o desmonte do Morro do Castelo, a Misericórdia é sua contemporânea e lá está um patrimônio histórico que precisa ser valorizado e preservado. Destaca-se a própria Ladeira da Misericórdia, a primeira via pública da cidade, calçada em 1567 com o mesmo pé de moleque que está lá até hoje.

 

SERVIÇO:
Exposição “Rio de Janeiro 450, a fundação da cidade e seus marcos históricos”
Produção: Andrea Jakobsson Estúdio Editorial
Local: Museu Histórico Nacional
Visitação: 8 de outubro de 2015 a 6 de janeiro de 2016
Endereço: Praça Marechal Âncora, s/nº
Informações: (21) 3299-0324

O seu endereço de e-mail não será publicado.