Andar pelas ruas do Rio é como passear pelas canções de Tom Jobim. O criador da bossa nova, um carioca apaixonado, cantou a cidade para o mundo e marcou para sempre a nossa história. Basta colocar os pés para fora de casa para perceber que Tom está por todos os lados: com seu violão nas costas em um passeio pelo Arpoador, um pouco mais a frente no bar Garota de Ipanema, no aeroporto internacional que leva o seu nome, no Cristo Redentor com os seus braços abertos sobre a Guanabara e em tantos outros detalhes sutis do cotidiano carioca.

tom jobim 1

E foram estas sutilezas tão bem retratadas em suas músicas que chamaram a atenção de José Luis Sánchez, um espanhol que ainda bem jovem dedicou-se a estudar violão com o único intuito de se aproximar deste universo jobiniano. Daí para vir morar no Rio de Janeiro foi um pulo. Ele mergulhou de cabeça na vida e obra de Tom e depois de realizar muitas entrevistas com alguns de seus amigos de vida como Caetano Veloso e Gilberto Gil e com o próprio cantor e compositor – com quem passou tardes e tardes na sua casa do Jardim Botânico – lançou a Biografia Tom Jobim, a simplicidade de um gênio. O livro foi publicado no Brasil em 1995, pouco depois da morte de Tom, e no ano passado ganhou também as prateleiras das livrarias espanholas, após o seu lançamento em Barcelona.

Foto 1 (1)FOTO 2 (1)

“A música do Jobim cria uma atmosfera muito particular e é muito interessante poder mostrar isso para as pessoas.” – contou José, que não parou por aí e atualmente participa de um projeto musical com outros dois espanhóis também apaixonados pela bossa nova brasileira. A cantora de voz marcante Anna Luna e o extraordinário pianista Jaume Vilaseca se juntaram ao doce violão de José Luís para criar Tom Jobim em 25 notas, um show que mistura música e texto numa espécie de biografia cantada. “Escrevi pequenos fragmentos relacionados as suas principais músicas . Nestes fragmentos eu busco falar um pouquinho da história de cada uma delas e contextualizá-las de acordo com o que Tom vivia no momento de sua composição. E é durante o show, no intervalo entre as músicas, que eu conto estas histórias.”- explicou José, com um sotaque catalão de quem viveu no Brasil por mais de 13 anos, mas  que nunca deixou sua terra para trás.

tom jobim 2

Depois de algumas apresentações pela Espanha, onde lotaram teatros e casas de show, o trio chega ao Brasil para uma breve turnê na terra da bossa nova. Nos dias 17 e 24 de outubro eles se apresentam na Sala Baden Powell, em Copacabana e no dia 18 no teatro da UFF em Niterói. E para quem vai estar pela serra esta semana não pode perder o show no dia 20 no teatro Dom Pedro em Petrópolis. A terra da garoa também os receberá de braços abertos no dia 23 no Teatro São Pedro.  Se você ficou curioso e quer saber mais sobre estes músicos espanhóis que chegam ao Brasil esta semana dá uma olhada lá no site deles e não deixe de apertar o play!

O seu endereço de e-mail não será publicado.